quarta-feira, 14 de maio de 2014

terça-feira, 13 de maio de 2014

Pensamentos
sem eira nem beira
acabam virando poeira
rastros de borboletas

ou poesia faceira.

domingo, 11 de maio de 2014

Naufragam todo dia
cochicham as mesmas melodias
sob o manto da noite,
são delírios em notas abertas, 
viajam em velas despertas.

sábado, 10 de maio de 2014

quinta-feira, 8 de maio de 2014

terça-feira, 6 de maio de 2014


Poeta não trabalha,
atrapalha às vezes avacalha,
anarquia de versos folgados,
vira manifesto em prosa
no máximo uma ciranda,
sem rima nem cartão ponto.

domingo, 4 de maio de 2014

Vontade de agarrar a cabeleira
deste vento sem juízo,
inventar um destino soprado
fazer um trato,
desmanchar dores amontoadas
fazer poesia de flores arrancadas.

sábado, 3 de maio de 2014

Nunca fui tão linda, nem tão boa, nem tão eu.  Mais facilmente me balanço na teia da aranha, vejo flores de outras cores. Passarin...