sexta-feira, 30 de março de 2012

meu presente  belo
a rosa ,
desmaiou, quedou-se
como o tango 
                                                                                                 ao findar a tarde,
                                                                                                dramático intenso, 
                                                                                                      o tempo
                                                                                        não canta, sopra 
                                                                                                                         e vai...
                                                                                  
Variações dos dias,
hoje
a cor dourada
clara luz
reflete na pele
mapeada pela vida,
tua mão,
desenha os caminhos
teus olhos,
meu destino.

quinta-feira, 29 de março de 2012

centro cultural Érico Veríssimo - Porto Alegre

Desfilava mundos na urbana
cidade,
pedras poesia ventos do sul
na paisagem dos teus olhos, 
me mostra o
 mundo, 
que sempre foi meu.

sexta-feira, 23 de março de 2012

(parque da Redenção Porto Alegre)

Bilhete na Garrafa

Sou mesmo errante vento
navego em meus mares
densos transparentes,lentos.
Percebo céus astros 
nenhuma carta nau,
minha estrela permanente
não é deslumbrante ,
permanece na palavra, 
minha vida meu caminho.
Não me ache,
quero me desencontrar.

quinta-feira, 15 de março de 2012

tenho lacunas enormes de melancolias,
frestas,
 por onde escapa minha vida.
Estava linda de pés descalços
nas poças ,
maravilhosa de barro e vento
cheirosa de vida urbana,
poesia foi cedo pra rua
ganhar o pão roubar ilusão,
quase dormiu no trem,
abriu os olhos pro Guaíba
bebeu no bar que ainda não fecharam,
atropelou alguns ciclistas
correu pela alameda do Mario,
visitou imortais na hora do almoço
e chorou, quando viu
a verdadeira poesia, limpando parabrisas
vestindo caras de desesperança...

segunda-feira, 12 de março de 2012

domingo, 11 de março de 2012

foto de Suzana Pires "Lomba Grande"


ah, tem sempre uma janela para nossa paixão voluntária...

sábado, 10 de março de 2012


Lá fora frenética noite de sábado
aqui , uma noite de luar.
Converso com o passado
quero desvendar porque a poesia
sempre anda despida ,
não é desatino  nem desvario
descobriu se das vestes
quando todos se cobrem,
ninguém mais sabe amar,
só ficar .
Refletida na lua
a nudez da  poesia é miragem
no meu olhar...

quinta-feira, 8 de março de 2012


quero quando estiver contigo 
sentir vontade de passar batom
usar aquela saia de bolinhas
a blusa de rendas
 lapis no olho
quero quando estiver contigo
que meu desejo de ti
seja tão forte que venha pelos olhos
desabe na tua boca
caia do céu em gotas
nos lave
revele 
desarme,
quero quando estiver contigo
o perfume das peles
o afeto doce
e a tua força de homem  como gangorra
doce e  fatal,
quero esta felicidade, 
desdobrar os sonhos pelas madrugadas
uma unica vez que estiver contigo
todo meu ser sera só sentidos
eu voce  o batom a saia a pele
quero estar em ti.

terça-feira, 6 de março de 2012

o sol que te queima e bronzeia  
aquece a palavra 
que teima em calar,
não deve sair 
mascarada, fica solta no ar...


domingo, 4 de março de 2012

bem tarde e o sax sem piedade   
pela noite     sem doçura nenhuma    
 pela rua     meias de seda   
som dos teus olhos em mim  
 bem perto     tão perto   
a lua escondida reclama   lamenta   
precisa de uma lingerie...
vou recolhendo minhas palavras
no teu dorso na tua boca
meu horizonte vaga no teu olhar,
escaramuço sonhos nos teus cabelos
esparramo minha terra nas tuas mãos,
molha minha vida tua canção
enfeita minha cama tua vontade
me parto  despedaço  refaço...

Edith Piaf -Mon Dieu subtitulos español

quinta-feira, 1 de março de 2012


Eu ouvia sinos quando sonhava
sonhava sons enquanto te amava
depois,
quando o silencio aportou em mim
de ti os sinos ainda soavam,
me ama      te amo       se ama...
um ponto segue outro ponto,
 não costura nada,
agrega rimas e faz sonhar ,
um ponto e um espaço fornecem possibilidades,
para fantasiar viver encantar...

Nunca fui tão linda, nem tão boa, nem tão eu.  Mais facilmente me balanço na teia da aranha, vejo flores de outras cores. Passarin...