sexta-feira, 30 de abril de 2010

Não sou poeta
escrevo por ser bipolar.
Severas anomalias emocionais,
ainda não me trancafiaram
porque as grades e as altas paredes
me serviriam de inspiração,
cenário,
fuga e ebulição.

www.coisasdemenina.com

Tua tatuagem
provou minha língua
pintou meu desejo.
http://temploinpuro.wordpress.com


As boas meninas estão guardadas
nos quartos pintados de rosa
entre cortinas de voal e
almofadas de veludo,
as "outras"
andam pelas ruas
comendo o cinza da cidade,
bebem rock'n roll
se banham de madrugadas
e estão sempre,
vergonhosamente,
FELIZES.



Bordava labaredas
no linho branco,
incendiou -se
na faísca...
da risada ficou o eco
das palavras o som
do olhar o abismo.
Andeias teias
Areias tenhas
Meias candeias
Imensas Veias.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

foto de Zé Martinusso -São Luiz do Maranhão

por sobre o mar
estarei sempre
a procurar
foi um vento...
leve, passou
me levou...
hoje o céu amanheceu cheio de dores...
um anjo caiu e outro sumiu!
sem blues jazz ou rock
silencio absoluto.
o vento esta parado no ar
porque o tempo também
parou.

flor Dama da Noite


descobrir tua ausencia
sem suspeitar que
estava atrás da porta,
sorria
enquanto eu confiava.
sem lágrimas
surpresa nenhuma
constatação
do nada.
A porta abriu
e o Cruzeiro do Sul
não estava mais lá,
dor sangrenta
agonizante desesperada,
nem a lua cheia
nem as estrelas,
tudo sumiu
o deus desapareceu.
como veio
sumiu
esvaneceu,
deixando no ar
vontade de dizer
as palavras
que não foram ditas.
sem Luz
não há escuridão
ali só existe o nada...

quarta-feira, 28 de abril de 2010



Me disse

Que vem pro frio,

Espero arrumando

a cama.

cobertos de sol

descobertos de lua

mais alguns lençóis de

poesias

e toalhas bordadas

de poemas,

listras atravessadas

de sensações

novas

riscadas no meio

da tela

descobrindo a

paixão sem razão.

terça-feira, 27 de abril de 2010

teus lábios roçando os meus
fez o instante parar,
meu calor teu sorriso
primavera de sol
na noite chuvosa de outono,
ansiedade de meninos...

domingo, 25 de abril de 2010

moreno, não digo

...tenho medo das palavras
porque,
parece que minha alma tirou a roupa
se despe,
quando penso em dizer te amo
minha vida escancara janelas,
quando penso em dizer te amo
meu coração salta e acredita,
quando penso em dizer te amo.

sexta-feira, 23 de abril de 2010


Palhaça Gelatina Cia do Riso Nh- Rs



Uma Canção para

Palhaça Gelatina!

Deixa a palavra falar
deixa dançar deixa cantar
faz da lona deste circo
de Luz,
a magia da vida .
Desanda pelo trapézio
colorindo o ar,
jogando esperança
na rede, pisando
no picadeiro
da Ilusão
com as chalupas
da emoção.

terça-feira, 20 de abril de 2010

segunda-feira, 19 de abril de 2010

sábado, 17 de abril de 2010


Foto de Zé Martinusso


... cor de jambo
sua alma,
olhar de horizontes
seus cabelos cataventos
a boca girassol
pernas e ventre
dourados
coloridos sonhos
era alegre,
ficou triste
desbotou inteira...
se permitiu nascer
de novo
entre pedras, águas mornas
renovou o amor
por ele, por ela...
meu blues
desperta
tua insônia
afoga
teus desejos
no café
preto madrugada.
no véu da noite
as estrelas bordam
teu nome
a lua sorri
cúmplice...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Balada

Él pasó con otra;
yo le vi pasar.
Siempre dulce el viento
y el camino en paz.
¡Y estos ojos míseros
le vieron pasar!

Él va amando a otra
por la tierra en flor.
Ha abierto el espino;
pasa una canción.
¡Y él va amando a otra
por la tierra en flor!

El besó a la otra
a orillas del mar;
resbaló en las olas
la luna de azahar.
¡Y no untó mi sangre
la extensión del mar!

El irá con otra
por la eternidad.
Habrá cielos dulces.
(Dios quiera callar.)
¡Y él irá con otra
por la eternidad.

- Gabriela Mistral -

estranho sentir
aperta o peito
escapa do entender
afoga o ar
endurece o olhar
instante louco
fugaz
passa rápido
fica o sentido
de pele ardendo
nada encosta
queima dentro
pra fora.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

sexta-feira, 9 de abril de 2010

menina,
anda no fio da navalha
com teu batom
tua carne
teus ais.

eu te como
com tanta voracidade,
com a fome
dos desesperados,
te como em pedaços
em fatias,
te como em luas
inteiras.




Quando eu for,
te levo...
pedaços da lua
do lado escuro,
te levo na bolsa de mão uma ou duas estrelas
te levo embrulhado no guardanapo
uns fiapos de sonho,
te levarei em caixa de sapato meu sorriso,
guardado
te levo na mão uns pós que encontrei no sol
te levo aquela musica que não ouvimos
e te convidarei para dançar comigo
numa serenata ouvindo poesias.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

(Manoel Constantino)


rasgou a roupa
quebrou a louça
cortou os cabelos
desfez a cama
desconstruiu o mundo.
Sorriu.

de pés descalços
subia os montes
descia os caminhos
achou os sapatos
esqueceu de andar...




siga a rota dos ventos
e desabe sobre meus braços
para morrer
... ou eternizar.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Confissão!

meu

coração borboleta

é de todos,

minha alma

sem dono,

nem eu sou dona dela

e meu corpo...

este suporta o peso dos sentidos.

terça-feira, 6 de abril de 2010

me falta o lápis
para te desenhar
elogios mundanos,
então...
carrego a pena
sofrida,
para rabiscar a melodia
da tua ausencia,
nas peles em que te busco.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Melodia Profana

Neste bar a poesia não entra,

aqui só tem almas querendo pecar,

sem nenhuma rima

a solidão a noite e a angústia

me gritam:

a vida é foda

e o diabo eu bebo com gelo!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

cirandeia
menina moleca,
incendeia a vontade
no rodar das cadeiras,
no jogo das pernas...
na ciranda mostra
teu riso faceira,
encaixa o moreno
no olhar
desfalece de puro prazer.

a mão suave perto da outra mão
grande,
o olhar preso no fundo
de outro olhar,
a boca quer mas não
pode.
estar perto é faísca
não encostar, embriaga as vontades
limita o corpo...
expande o Ser.

patchwork

um pedaço do coração
vermelho
teu cabelo
preto
minha boca
rosa
tua pele...
o pano todo.

Nunca fui tão linda, nem tão boa, nem tão eu.  Mais facilmente me balanço na teia da aranha, vejo flores de outras cores. Passarin...