sexta-feira, 24 de julho de 2015


Bela e transparente
voa 
no céu que pinta,
sobrevoa
as bocas de leão
que beijam
com mordidas, 
faz rasantes
sobre rosas
que abraçam
com arranhões,
bela e breve
voa livre
invisível aos olhos
da escuridão.

quinta-feira, 23 de julho de 2015




Vazou uma poesia
aqui pelo canto da página,
foi correr mundo,
com sorte desabotoar
as idéias, soltar as rimas
romper fronteiras,
ser livre em qualquer
céu, de qualquer cor.

quarta-feira, 22 de julho de 2015



Aguados os dias
na espera de sol,
pinga pingos resistentes
na poesia faceira.
Pronta pra brincar
aguarda no solo,
vai pular amarelinha
nas poças da calçada,
bolsa cheia de versinhos
para sarau com joaninhas.

Nunca fui tão linda, nem tão boa, nem tão eu.  Mais facilmente me balanço na teia da aranha, vejo flores de outras cores. Passarin...