sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

É preciso um pouco de cinza,
no dia do poeta para poesia
desenrolar as asas.
Um pouco de silencio,
jornais fechados e uma brisa,
menos informação mais sensação.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O amor insano é sempre presente.
Sorri com olhos de horizonte,
passeia no passado e volta,
arde no instante imenso,
flutua no tempo do agora,
querendo ser eterno sendo
interno, existencial e divino,
de coração beijo e suspiro
foto- Suzana Pires 


quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Às vezes os homens ficam meninos,
para sempre,
brincam de adulteza, no cinza das ruas,
puxam a linha das pandorgas, 
com o fio dos pensamentos.
Enquanto produzem, sonham sorvetes,
nascem de fadas sem asas e pais,
contadores de história,
inventam um mundo para cantar e,
 são felizes, enquanto os cabelos,
viram nuvens alvinhas.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

E triste a poesia também disfarça,
no céu sem nuvens,
troveja a melancolia,
em linhas descoordenadas
fixa no horizonte,
uma nau dos sonhos,
esta sempre partindo.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

A gota,
suspiro do suor,
escorria lentamente,
escandalizou o dia.
Assistida,
fez da manhã,
tela de cinema.

obra- Monet Porte d’Aval

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Dias alegres cheios de sol,
descosturados fantasmas
nenhuma carta na garrafa,
apagados deuses
sem roupa sem dentes sem amor,
a vida é o merecimento
de plantar flores e colher
amores.

Nunca fui tão linda, nem tão boa, nem tão eu.  Mais facilmente me balanço na teia da aranha, vejo flores de outras cores. Passarin...