escrevo porque respiro
complexidades sem fim,
sentimentos doçuras
estranhamentos
afastamentos distancias,
primaveras e verões
algumas prímulas
metade de uma lua
um blues um cheiro
escrevo crucificada,
dentro de cada
palavra não dita
...
infinita.
 

Comentários

Postagens mais visitadas