De passo em passo, 
ganhou a noite
parou na esquina,
nem vento ou catavento,
viajeiro calejado marcado
solitário, de olhar distante,
encantou a retina e o faro.

Com risco,  seguiu o medo
abriu o peito a boca e foi.

Dançar em calçadas nuas
vestida de bruma,
ainda é melhor que sonhar
olhando a lua.


Comentários

  1. melhor que sonhar vendo a rua é difícil hein...

    Gostei.

    ResponderExcluir
  2. Esse poema parece um desses sonhos em que se levanta e se sai do corpo procurando mundos.

    www.randomatizes.blogspt.com Confira os poemeus!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas