Agora não se guarda mais do tempo,
varal de vento para os possíveis sonhos,
amarelinha em esparsas nuvens,
 leva sorvete nas mãos em concha.
 Sem asas, decola nas letras miúdas.

Comentários

Postagens mais visitadas