Ainda atravesso as mesmas madrugadas
em outras ruas,  as pedras são diferentes
mesmo céu, lua, estrelas
mudou os sons ,
mudaram as portas
e aquele bar já não abre 
até tarde.

Ainda caminho como quem foge
 não preciso mais entender,
muitas surpresas a luz do dia 
perdem o sentido.

Ainda levo o sonho guardado
se quem ama sabe, deixa ir
meus pedaços ficam,
a falta que me fazem é dor crucial.

Ainda tenho coragem de atravessar 
longas estradas vazias,
 acovardo quando me olhas,
sem as cortinas que teimo em cerrar.




Comentários

  1. Olá!Boa noite!
    Tudo bem?
    ... a vida seria bem mais fácil se não ficassem nos iludindo com contos de fada e finais felizes desde crianças, e não nos fizessem acreditar em príncipes encantados, vilões e princesas, que aparecem quando sobem as cortinas. O ainda, tem que virar JÁ, logo!
    Bom final de semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. anda inspiradíssima,heim,gata!!
    tá bem bom passear por aqui
    beijos querida poeta

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas