Ela canta em língua prosa
tem vertigem no galho da rosa,
mergulha de fato
no meio da poça.
Vive na roda da rima
ensaia uma dança de alma criança,
tem malícias e solidões,
entrega o corpo
feito flor se abre,
como as notas na boca do cantor.




Comentários

Postagens mais visitadas