Me ausento, saio a passeio 
sem carregar nenhum peso,
deixo os pesares os sonhares e as senhas,
menina dos olhos, vai sem sapato, sem meias.
Pela mão do vento descobrir alentos
motivos risonhos de existir na poesia.

Comentários

Postagens mais visitadas