Américo do Sul, no meu sul.


“um marujo perdendo o medo do mar”

Nem Pessoa nem Drumonnd
um simples marujo.
Imagino de longas viagens.

Soberbas paisagens no olhar
Cheiros de muitas terras
Saudades d’além mar.

Lá atrás na distancia
um lencinho
Uma renda uma prenda
Uma alcova um amor.

Mais adiante um porto
Seguro tranquilo
Nenhum mar revolto.

A casa do marujo
Não pode ser a terra
Com certeza é o céu.

Porque mares
Conhece todos
Ate perdeu o medo.

No horizonte
A miragem do novo
Desafio.



Comentários

  1. Bela postagem, um texto gostoso de ler e fala de mar e de além, gosto deste tema, por isso é tão bom passear por esta página, pra vc bjos, bjos e bjossssssssssssss

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas