(Porto Alegre)

Tem uma louca pra subir na torre

gritar línguas mortas,

acordar espíritos e sombras

fazer florir alguns botões,

desenhar nas nuvens

escrever no céu.

Tem uma louca de boca aberta

bebendo vida dando risadas,

tirando a saia descobrindo a alma.

Tem loucas dentro da louca,

saiu das páginas desliza na tarde

escorre pelos suores.

Bem louca, sem sentidos certos,

vive os dias ensaiando no reflexo

da retina.



Comentários

  1. Sempre dizem,
    que de louco,
    todos temos um pouco!

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. É, e "quando acabar o maluco sou eu". He, he, he.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas