De todas transparências
nas saias e sobre saias,
deslizava candidamente
entre o real e o mortal.

Empunhando uma palavra
subiu no salto
pulou os muros
correu pelos telhados.

Descobrindo os sentidos
sentiu toda nudez
da pele, da alma,
apagou-se antes de clarear...


Comentários

  1. "O ato de escrever é o ato de descobrir aquilo em que voce acredita" DAVI HARE.
    ♪ARPA♪

    ResponderExcluir
  2. Um clima especialmente etéreo nesse poema. Como um sonho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. as poesias estão dentro dos sonhos. obrigada.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas