Abria a janela ele sempre lá.
Cantava mantras e poesias
escrevia em arco íris
desenhava nas calçadas.
Desfilava seu  dourado,
em tatuagem de lua e sol,
duplicada em outras peles.
Era só ele especial,
ela só dele.
Noites de tormentas
outras ondas,
serpentes sinuosas,
encantos exaustivos.
Ele canta, sobe os degraus,
cada dia um soneto novo.
Ela observa e chora,
no coração o sonho 
não se desfaz.

Comentários

  1. Minha querida

    Hoje passando para dizer que estou voltando (ainda devagar), mas com muita saudade e agradecendo as palavras de carinho deixadas durante a minha ausência.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que esta de volta Rosa,
      alguns vão e voltam depois, outros não vão e
      se foram para sempre. que bom que voltou, fica.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas